Direitos Humanos - A Diversidade Racial e a Falta de Inclusão

Notícias 2 de Fev de 2022 ES EN

A diversificação étnica do  Brasil é um dos aspectos mais notáveis quando analisamos a população brasileira. Antes mesmo da colonização acontecer, a população indígena já se aproximava de três milhões de habitantes, o que implica uma diversidade étnica muito grande entre os povos nativos. Sendo assim, o início da colonização e a chegada de povos africanos advindos do processo de escravidão, somado as futuras imigrações de diversos povos, dentre eles europeus e asiáticos, resultou na miscigenação da população brasileira. Por fim, tendo em vista todo o racismo colonial, infelizmente o processo de miscigenação se deu através de um genocídio étnico e cultural. Devido à escravidão e aos assassinatos de indígenas e escravos, grande parte de sua cultura foi perdida no processo de colonização. Um reflexo disso, é a atual bandeira do Brasil, que não tem nenhuma referência aos povos nativos da época, na realidade ela é a representação das cores das casas reais de famílias portuguesas. Isso demonstra que ao longo dos anos a cultura nativa brasileira foi desaparecendo, prevalecendo sempre o interesse europeu.

É de conhecimento geral que a abolição da escravatura ocorreu devido a interesses econômicos, e não por uma real superação da ideologia escravista. Mas como os colonizadores iriam apresentar para a Europa, um Brasil composto majoritariamente por negros? A solução para eles foi tentar higienizar a população, promovendo o apagamento de suas identidades étnicas e reprimindo práticas culturais, outra medida adotada  foi o deslocamento das famílias pobres (composta majoritariamente por pessoas negras) que moravam no centro, para as margens da cidade. Dessa forma, mesmo após a abolição da escravidão, o preconceito e a exclusão dos ex-escravos se manteve.

Tendo em vista a exclusão das minorias raciais, após muita luta do povo negro, foram criadas políticas que visam diminuir e até mesmo acabar com essas disparidades ocorridas ao longo dos anos. Dentre as políticas surgiram leis como a de injúria racial, a qual tornou qualquer forma de discriminação um crime inafiançável. Com tal feito, os atos de ódio contra pessoas negras e indígenas, diminuíram em uma grande proporção. Foi criado também políticas de cota para a inclusão de pessoas negras e indígenas em diversos âmbitos, como em cargos públicos e no ingresso nas universidades públicas, por exemplo. Apesar dessas medidas, ainda falta muito para a inclusão de minorias étnicas na sociedade, muito devido ao passado colonial brasileiro.

A Colonização no Brasil deixou de herança o racismo, apesar de todos os direitos conquistados, ainda vivemos dentro de uma sociedade estruturalmente racista, onde muitos ainda ignoram a luta de minorias étnicas e a desprezam.

O racismo estrutural pode ocorrer no dia a dia, e muitas vezes acaba passando despercebido. A microagressão é um exemplo, ela é uma forma de preconceito sutil muitas vezes utilizada de forma inofensiva e despretensiosamente. Dessa forma, o racismo aparece como piadas de mau gosto e frases cotidianas com a utilização de termos preconceituosas. De tal maneira, a microagressão continua sendo uma forma de exclusão étnica, muito pelo seu preconceito oculto, portanto deve ser combatida em todos os âmbitos.

O genocídio indígena também não ficou para trás. Milhares de indígenas morreram, por doenças trazidas da Europa e  assassinados pelos colonizadores, cerca de 2,7 milhões dessa população morreram em 150 anos de colonização portuguesa. Atualmente os povos indígenas reivindicam a demarcação de suas terras e denunciado a invasão de empresários e grileiros, por vezes facilitada pela bancada ruralista, que a anos vem boicotando e dificultando a conquista de direitos, especialmente a demarcação de seus territórios. Esse fator é crucial para a marginalização e exclusão desse povo.

Com tais atitudes da bancada ruralista, nota-se que nunca foi de interesse do Governo tornar a diversidade étnica algo democrático. Desde o início do Brasil república todos os direitos foram conquistados por pessoas negras sendo opressas de alguma forma. Sendo assim, as ideias de segregação das minorias étnicas foi apoiada diversas vezes pelo Governo. Tal fato se mostrou principalmente muito presente durante a ditadura militar, período o qual milhares de pessoas negras sofreram opressão pela sua cor de pele. Por fim, o Brasil mesmo tendo praticamente metade de sua população negra, tem apenas 18% de negros inseridos na política, confirmando toda a segregação existente na sociedade.

A ideologia dominante também teve sua contribuição no boicote a movimentos por direitos étnicos, esvaziando significados, e cooptando pautas para seu interesse próprio. Tudo isso com a ajuda da grande mídia que replicada seu discurso, se aproveitando do seu grande alcance e credibilidade.

A luta pela inclusão racial será longa e violenta, não é de interesse para a classe dominante e muito menos para a atual ordem social a superação da marginalização do povo negro e indígena, forças contrárias sempre tentam subverter os valores e ideais da luta, a mídia sempre irá deturpar os acontecimentos. Porém, nós estaremos aqui, nós estaremos sempre lutando, contrariando o sistema, conquistando nossos direitos, acabando com os vermes racistas. Nós somos a legião, nós não esquecemos, nós não perdoamos, nos aguardem.

Marcadores

EterSec

EterSec é uma célula Anonymous baseada nas ações coletivas e na diversidade. Na era da informação, não podemos nos isolar, devemos nos unir na construção coletiva de um futuro mais livre.

Great! You've successfully subscribed.
Great! Next, complete checkout for full access.
Welcome back! You've successfully signed in.
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.